quinta-feira, 18 de setembro de 2008






Disciplina: Gestão de Custos Industriais
Profª Simone Cristina Kopak , 2004.



Análise de Custo/Volume/Lucro

Um dos instrumentos da área de custos que podem ser utilizados nas decisões gerenciais é a análise de custo/volume/lucro. Tal expressão abrange os conceitos de margem de contribuição, ponto de equilíbrio e margem de segurança, cujo conhecimento é de fundamental importância para os gestores de custos em virtude do número de benefícios informativos que proporcionam.


As análises de custo/volume/lucro são modelos que visam demonstrar, de forma gráfica ou matemática, as inter-relações existentes entre as vendas, os custos (fixos ou variáveis), o nível de atividade desenvolvido e o lucro alcançado ou desejado. Seu estudo proporciona respostas a questões relacionadas ao que acontecerá com o lucro da empresa se ocorrer:

a) aumento ou diminuição do custo (variável ou fixo);
b) diminuição ou aumento do volume de vendas; e
c) redução ou majoração dos preços de venda.

Por exemplo: os gestores das empresas necessitam conhecer com antecedência que efeitos teria uma modificação no preço de venda, no volume de produção, nas combinações do mix de produtos, uma alteração salarial ou uma modificação nas máquinas da fábrica. Para que essas informações estejam disponíveis com a rapidez que as decisões empresariais exigem, cabe ao analista de custos dispor dos dados indispensáveis à análise de custo/volume/lucro.
Custo, preço e volume são os fatores considerados no planejamento e na análise da variação do lucro. O preço de venda geralmente é de controle limitado, mas custo e volume possuem elementos mais controláveis. As decisões gerenciais requerem uma análise cuidadosa do comportamento de custos e lucros em função das expectativas do volume de vendas. No curto prazo, a maioria dos custos e preços dos produtos da empresa podem ser determinados. A principal incerteza não está relacionada com custos e preços dos produtos, mas com a quantidade que irá ser vendida. A análise de custo/volume/lucro aponta os efeitos das mudanças nos volumes de vendas na lucratividade da empresa.

Margem de contribuição

A margem de contribuição é o valor resultante da venda de uma unidade, após deduzidos os custos e despesas variáveis associados ao produto.



Vantagens e limitações da margem de contribuição

O estudo da margem de contribuição é elemento fundamental para decisões de curto prazo. Além disso, possibilita análises objetivando a redução dos custos, bem como políticas de incremento de quantidade de vendas e redução dos preços unitários de venda dos produtos ou mercadorias.
Entre as vantagens e desvantagens do conhecimento das margens de contribuições (em $ e em percentual) das divisões (ou setores/departamentos comerciais), linhas de produção (ou linhas de comercialização) e de produtos (ou de mercadorias) podem ser listadas as seguintes:

a) é um instrumento para avaliar a viabilidade de aceitação de pedidos em condições especiais. Por exemplo: quando existem restrições de matéria-prima ou horas de trabalho disponíveis ou por preços e quantidades diferentes dos praticados;
b) ajudam o gestor a decidir que produtos devem merecer maior esforço de venda ou colocados em planos secundários ou simplesmente tolerados pelos benefícios de vendas que possam trazer a outros produtos;
c) são essenciais para auxiliar os gestores a decidirem se um segmento produtivo (ou de comercialização) deve ser abandonado ou não;
d) podem ser usadas para avaliar alternativas quanto a reduções de preços, descontos especiais, campanhas publicitárias especiais e uso de prêmios para aumentar o volume de vendas. As decisões desse tipo são determinadas por uma comparação dos custos adicionais, visando ao aumento na receita de venda. Quanto maior for o índice de margem de contribuição, melhor é a oportunidade de promover vendas. Quanto mais baixo o índice, maior será o aumento do volume de vendas necessário para recuperar os compromissos de promover vendas adicionais;
e) a margem de contribuição auxilia os gestores a entenderem a relação entre custos, volume, preços e lucros, fundamentando tecnicamente as decisões de venda;
f) basear o cálculo dos preços de venda somente com dados da margem de contribuição pode resultar em valores que não cubram todos os custos necessários para manter as atividades a longo prazo;
g) é útil para tomada de decisões de curto prazo, mas pode levar o gestor a menosprezar a importância dos custos fixos.

PONTO DE EQUILÍBRIO

Na literatura podem ser encontradas outras denominações para expressar “Ponto de Equilíbrio” como: ponto de ruptura, Break-even Point, Base line, ponto de nivelamento, ponto crítico ou ponto de quebra.
Em determinadas ocasiões, o gestor necessita saber qual o volume de atividades é o suficiente para que a empresa não tenha prejuízo. Ou, ainda, qual o nível de produção (vendas) deve ser atingido para que a empresa alcance o lucro desejado pelos acionistas. Estas indagações são respondidas pela equação do ponto de equilíbrio (PE).
O ponto de equilíbrio representa o nível de vendas em que a empresa opera sem lucro ou prejuízo. Ou seja, o número de unidades vendidas no ponto de equilíbrio é o suficiente para a empresa pagar seus custos fixos e variáveis, sem gerar lucro.
Ponto de equilíbrio contábil em unidades (PE un.)

O ponto de equilíbrio em unidades define o número de produtos (peças, metros, quilos etc) que deve ser fabricado e vendido para que o resultado seja zero (não haja nem lucro nem prejuízo).
O ponto de equilíbrio contábil em unidades é obtido pela fórmula:

PEC em unidades = Custos fixos ($)
Margem de contribuição unitária ($)

Exemplo: supondo que os custos fixos totais sejam de $ 4.000, que o preço de venda seja $ 100 por unidade e que os custos variáveis unitários sejam de $ 60. Nesse caso, o ponto de equilíbrio em unidades é 100 unidades [ $ 4.000/($ 100 - $ 60)]

Comprovação:

(+) Vendas totais ( 100 unidades X $ 100/unidade)....................= $ 10.000
(-) Custos variáveis totais (100 unidades X 60/unidade)..........= $ 6.000
(=) Margem de contribuição total (100unidades X $ 40/unidade= $ 4.000
(-) Custos fixos mensais..............................................................= $ 4.000
(=) Resultado do período.............................................................= zero

Margem de segurança

A margem de segurança é o volume de vendas que supera as vendas calculadas no ponto de equilíbrio. Ou seja, representa o quanto as vendas podem cair sem que haja prejuízo para a empresa.
O volume de vendas excedente para analisar a margem de segurança pode ser tanto o valor das vendas orçadas como o valor real das vendas.
Exemplo: se o ponto de equilíbrio é de $ 3.000 e as vendas efetivas forem de $ 4.500, a margem de segurança em $ é de 1.500. Se o ponto de equilíbrio é de 600 unidades e as vendas efetivas forem de 820 unidades, a margem de segurança em unidades é 220 unidades. A margem de segurança em percentual será obtida dividindo $ 1.500 por $ 4.500 e multiplicando por 100.


Lista de exercícios

1. A empresa catarinense Barriga-verde tem a seguinte ficha técnica do produto TRIÂNGULO:

Preço de venda $ 1.500
Custos variáveis $ 450
Comissões de vendas 10%
Impostos sobre vendas 18%

O departamento de vendas da empresa tem um pedido de 266 unidades para venda dentro do estado de SC, já em carteira. Um vendedor do Rio Grande do Sul envia pedido de 260 unidades, via fax cujo comprador é um atacadista que exige 5% de desconto no preço de venda. Os custos variáveis permanecem inalterados, exceto os impostos sobre vendas. A tributação passa para 12% por se tratar de venda para fora do estado. A aceitação de um pedido exclui a produção de outro:
a) Mesmo vendendo menos em quantidade e em valor, você aceitaria a venda para o Rio Grande do Sul? Justifique a decisão mediante o cálculo da margem de contribuição total.
b) Supondo vender 260 unidades em ambos os casos, qual pedido aceitar? Justifique.

2. A linha de produção da empresa “Qualquer” tem esta estrutura:

Produto X Y Z
Margem de contribuição unitária ($) 1,50 3,00 5,00
Vendas médias mensais em unidades 2.500 1.400 1.500

a) Na situação atual, classifique os produtos por ordem de rentabilidade (margem de contribuição total).
b) Havendo necessidade de eliminar um produto, supondo que a demanda permanecesse no mesmo nível, qual produto seria eliminado do mix?

3. A diretoria da empresa decidiu cortar um dos produtos da linha “Alfabeto” e incumbiu você de decidir qual. Sua base de dados é composta por estes itens:

Produtos A B C
Preço de venda unitário ($) 200 230 245
Custos variáveis ($) 120 140 130
Média de vendas em unidades 2.000 1.800 1.500

a) Use a margem de contribuição para indicar à diretoria qual linha deve ser eliminada. Justifique.
b) Supondo que o produto indicado para eliminação pudesse ter o preço de venda aumentado em 10%, você ainda manteria a decisão de eliminá-lo?

4. Um escritório de contabilidade mantém uma máquina fotocopiadora para uso interno e externo. O gerente deseja saber se a manutenção da máquina é vantajosa ou não. Considerando que os custos e despesas fixos (aluguel, salário do operador etc) são no valor de $ 1.550; que o preço de venda unitário da cópia é de $ 0,20 e que os custos/despesas variáveis (folha, produtos químicos etc) são no valor de $ 0,16. Ajude o gerente a decidir, calculando:

a) margem de contribuição em $;
b) margem de contribuição em %;
c) ponto de equilíbrio em unidades;
d) ponto de equilíbrio em $;
e) se reduzir o preço de venda em 10%, qual a influência no ponto de equilíbrio em unidades e em valor? Analisar a alteração ocorrida.

5. O gerente da lanchonete quer saber se é viável economicamente manter a linha de picolés no estabelecimento. Sabendo que os custos fixos (salário, aluguel etc) somam $ 2.000; que os custos variáveis por picolé são de $ 0,45; que o preço de venda unitário é de $ 0,80 e que a estimativa de demanda com preço atual é de 5.000 picolés por mês, pede-se:

a) Você manteria a linha de picolés? Justifique calculando se é lucrativo ou não.
b) O mercado aceita um preço de venda de $ 0,90. Se os custos fixos e variáveis mantiverem-se nos níveis iniciais e a demanda estimada para o novo preço se reduzir para 4.500 unidades, você manteria a linha na lanchonete nessa nova situação? Justifique por meio do ponto de equilíbrio em unidades.

6. O gerente da Casa das Gaitas coletou os seguintes dados a respeito do produto “Gaita”:
Preço de venda por unidade: $ 1.500
Custos e despesas variáveis por unidade: $ 930
Volume de vendas mensal: 100 unidades
Custos fixos mensais: $ 30.000

Pede-se:
a) Calcule o ponto de equilíbrio em unidades.
b) Calcule o ponto de equilíbrio em $.
c) Se os custos fixos aumentarem para $ 40.000, a empresa terá lucro? Justifique por meio do ponto de equilíbrio.

7. Um indústria de TV tem a seguinte estrutura de custos e despesas:
Custos fixos mensais: $ 16.500
Custos variáveis unitários: $ 3.000
Preço de venda: $ 5.500

Pede-se:
a) Calcule o ponto de equilíbrio contábil em unidades e em unidades monetárias ($).

8. O Boteco da Esquina tem o mix de vendas mensal conforme a seguir:

Produtos x-salada refrigerante
Preço unitário de venda ($) 2,00 0,60
Custo variável unitário ($) 0,80 0,35
Volume previsto de vendas 1.900 unidades 2.100 unidades
Custos fixos do período ($) 1.500

Pede-se:
a) Essa empresa é viável economicamente? Justifique.

9. Um gerente de um posto de gasolina tem estes dados sobre o setor de lavagem de automóveis:
a) Custo variável unitário: $ 6;
b) Custos fixos mensais: $ 7.000
c) Preço de venda: $ 10 e demanda atual média : 2000 lavagens.

Pede-se:
a) Quantas lavagens por mês devem ser realizadas para atingir o ponto de equilíbrio em unidades?
b) Se contratar mais um empregado com salário de $ 850 e a demanda média continuar de 2.000 lavagens, seria vantajoso para a empresa. Justifique.
c) Um concorrente anuncia preço de $ 8 por lavagem. Considerando a situação inicial (a) e o preço de venda de $ 8 por lavagem, você manteria a oferta do serviço? Por que?

Nenhum comentário: